quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

eu quero que chova

Para não recolher as roupas. Para vê-las encharcar, pingar, escorrer. 

Para não sair de casa. Para lavar o carro sem gastar água encanada. Para molhar a grama amarelada. Para varrer as folhas do telhado. Para mergulhar as britas cagadas. 

Para ninguém passar na calçada. Para estar sozinha como uma ilha. Para saber da cidade vazia. Para escrever a despeito de nada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário